“Por um Avivamento visto na Igreja, mas sentido no mundo!”

“A terra geme e desfalece; o Líbano se envergonha e se murcha; Sarom se torna como um deserto, Basã e Carmelo são despidos de suas folhas…. “Porque derramarei água sobre o sedento, e torrentes sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes.” (Isaías 33:9; 44:3).

SEMPRE COSTUMO DEFINIR AVIVAMENTO COMO: “Uma ação ou visitação soberana e renovadora de Deus a sua Igreja, de tempos em tempos, levando-nos a provar de sua presença de tal maneira que se faz sentir profundamente no mundo, alterando todas as camadas sociais”.
Avivamento_bíblia com chama de fogoPara alcançarmos um avivamento real, certas condições precisam estar presentes em nossa vida. A premissa de Asafe, no Salmo 80 se aplica muito a essa realidade, pois nele o salmista ora três vezes por uma restauração: Restaura-nos, ó Senhor Deus dos Exércitos, faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos” (v. 19, comp. também os vv. 3 e 7). Naturalmente aqui, dentro do contexto, trata-se de uma vivificação exterior. Mas quando se conhece a história bíblica de Israel mais ou menos profundamente, então se sabe que uma vivificação, uma restauração exterior sempre antecedia um avivamento interior. Por isso, quando Israel orava por nova vida, isso era também um clamor por nova vida espiritual, por renovação interior. Como Habacuque (3:2) devemos ficar alarmados diante da situação em nosso contexto atual:
“Tenho ouvido, ó Senhor, as tuas declarações, e me sinto alarmado…”
(Leia os capítulos 1-2 e entenderás que declarações são essas).
E a exemplo do profeta clamar:
“…aviva a tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos, e no decurso dos anos faze-a conhecida”.
PLANETA TERRAAs grandes perguntas a serem respondidas é: – Seremos somente bons cristãos, individualistas, reduzindo a aplicação do evangelho à nossa vida pessoal, familiar e eclesiástica? Ou construtores de uma nova sociedade? É possível centralizarmos a nossa vida em Deus e ao mesmo tempo ignorarmos as demandas do seu reino dentro de nosso contexto atual? Isso não seria dá ao Diabo uma procuração autorizando-o a fazer o que não lhe compete? Não é o Senhor aquele que controla soberanamente sobre todas as dimensões da realidade nacional, incluindo as dimensões sociais, econômicas, políticas e ecológicas? Um avivamento socialmente inócuo é realmente um produto do poder do Espírito? Perguntar é preciso.
Por isso sinto que no atual contexto brasileiro, Deus nos chama para orarmos por um avivamento na igreja protestante que deverá ser inevitavelmente sentido no mundo. Por isso devemos orar e chorar entre o pórtico e o altar. (Joel 2:17).
a terra em chamas.1Quando falamos de avivamento ou despertamento, sempre vem à nossa mente a ideia de manifestações seguidas de poderosas e visíveis ações do Espírito Santo. Embora acredite realmente que, às vezes, o Senhor assim se revela, pois creio na contemporânea dos dons, não acredito que isso seja sempre assim. Às vezes, Deus também age de maneira diferente, e um despertamento pode se manifestar de maneira bem diversa.Isso acontece às vezes quando Deus decide em sua soberana vontade despertarem pequena escala uma família, uma igreja começando pelo coração de um só de seus servos.

Pr. Alexandro Felizardo (Servo de Cristo e de sua Igreja).

Co-Pastor da IEC Campina Grande – Centro

Boletim1007, de 25/01/2015 _________________________________________

O Editor