“Discretamente perceptíveis!”

A palavra discrição é originária do latim “discretione” e diz respeito à qualidade de alguém em ser discreto, reservado ou de agir com sensatez e modéstia. Qualidade de quem não tem a intenção de chamar a atenção. Característica ou qualidade de quem é recatado, casto, que tem pudor. Qualidade de alguém que não delata os segredos alheios.

Muitas pessoas no meio cristão estão confundindo o “fazer a diferença” com se gloriar pelo que faz para Deus. Em Mateus 6 encontramos uma grande repreensão a respeito disso. Para fazer a diferença você não precisa ficar chamando a atenção, mostrando que é “mais cristão do que o outro”, que ora mais bonito, que sua voz no louvar é a mais afinada, entre outras coisas. Servimos a um Deus discreto, que em diversas passagens da bíblia nos pede para sermos discretos como Ele:
“Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita;” (Mateus 6:2-3).

Entenda que você precisa agradar a Deus, e não aos homens; você faz tudo o que faz em sua vida cristã para a glória d’Ele e não para a sua. Você não prestará conta de tudo o que faz a seu pastor, ao seu irmão ou seus familiares, mas sim a Deus. Ao levantar a sua mão na hora do louvor, ao abrir seus lábios para orar ou qualquer trabalho evangelístico certifique-se de que você está fazendo isso para honra e glória d’Ele e não para que quem está a sua volta te note e possa exclamar: “Nossa, ele(a) é mesmo um cristão(a)!”.

Afinal de contas “o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração.” (1 Samuel 16:7). Deus não estará olhando só as suas mãos levantadas, a sua voz afinada ou as palavras bonitas que você usa em suas orações, Ele olhará seu coração, com qual intuito você tem feito tudo isso, se é mesmo para a glória d’Ele ou para você se gabar.
Não são apenas fatores externos que te faz um cristão; qualquer pessoa pode levantar a mão, cantar um louvor, orar em voz alta com as palavras mais bonitas, mas não está verdadeiramente adorando a Deus.

Nunca se esqueça que Ele está à procura dos verdadeiros adoradores (João 4:23) e que “sem santificação ninguém verá ao Senhor” (Hebreus 12:14), ainda que tenha cantado no louvor com a voz mais bonita, orado com as palavras mais difíceis ou fazendo missões nos quatro cantos da Terra.
“Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.” (Mateus 7:22-23)

Pr. Alexandro S. Felizardo.


Palavra Pastoral – Boletim nº 1103, de 04/12/2016 

O Editor