“Da tribulação à esperança!”

“Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.” Romanos 5:2-5.

Nossa mente sempre condiciona Tribulação como fator negativo da vida. As experiências que passamos em meio às tribulações sempre nos trazem amadurecimento; só que, em grande parte desta experiência, sempre ou quase sempre começamos nos questionamentos: por que, pra que, o que vai acontecer, etc.

Não podemos, de forma nenhuma, só enxergar as tribulações como algo que possa apenas gerar desgraças, derrotas e tristezas.

Paulo, escrevendo aos Romanos – cap. 5 – projeta aos corações que, quando estamos em Cristo, quando olhamos pra Ele, somos justificados; a tribulação terá um efeito de produzir algo que tanto buscamos. Vejamos o que produz a tribulação estando debaixo da graça de Cristo:

A Tribulação produz:

aPaciência – Paciência neste mundo pós moderno não tem sido uma virtude exercida. Esta capacidade de espera, de autocontrole, a virtude de permitir que as coisas aconteçam no seu devido momento tem sido raridade. Mas Paulo não se refere apenas à capacidade de esperar, mas também na CAPACIDADE DE SUPORTAR AS ADVERSIDADES. Muitos têm a capacidade de esperar, mas não têm a capacidade de suportar adversidade, pelo fato da pressão que sofre devido ao agudo ataque dos problemas. Quando Cristo esta conosco, as tribulações que passamos ou passaremos, produz ou produzira em nossa vida capacidade de suportar e não a ação de desistir.

 

bExperiência – Essa experiência tem o sentido de amadurecimento, não é apenas uma questão de conhecimento adquirido graças aos dados fornecidos pela própria vida, não é uma questão de saber fazer a leitura do que está acontecendo. Quando Cristo está em nós, percebemos que o crescimento que estamos tendo é solido, conhecimento de interpretar, discernir os fatos de nossas vidas que ainda não foram despertadas venha a ser conhecidas. Esta experiência produzida pela tribulação nos trará a capacidade do crescimento nas áreas imaturas de nossa vida e no estabelecimento de metas que desejamos.

 

cEsperança – Esta esperança produzida pela tribulação e a concretização de uma vida firme e capaz diante das adversidades, de uma vida despertada e amadurecida nas áreas imaturas, uma esperança que não morre e nem se frustra. Não é uma esperança apenas da imaginação, do sentimento de quem vê como possível a realização daquilo que deseja, é a esperança convicta, sem barreiras, uma esperança que não se abala pela circunstancias terríveis da vida, é a esperança que vem de Cristo e esta gerada pelo Espírito Santo. Esperança divina derramada sobre nós para dar prosseguimento da nossa vida cristã.

Quando Cristo é o verdadeiro dono da vida, não há porque murmurar, desesperar porque estamos nos gloriando NELE, e logo sabemos que é com ELE que passaremos pela tribulação. CRISTO EM VÓS, ESPERANÇA DA GLÓRIA. (Colossenses 1.27).

Pr. André Moraes

Palavra pastoral que será publicada no Boletim semanal, de 12/06/2016

O Editor