IECCG – 94 Anos: História da Igreja na antiga “Rua do Açude Novo, nº 250”

Retalhos Históricos da Igreja Evangélica Congregacional de Campina Grande – Centro – na antiga ‘Rua do Açude Novo’, nº 250 – hoje, Rua 13 de Maio. (Compilação)  

37 anos após sua fundação, que aconteceu em 11 de outubro de 1864, Campina Grande já protagonizava fatos que passaram a ser escritos na própria história Congregacional da Cidade situada na Serra da Borborema [ou Planalto da Borborema], daí o honroso nome que a cidade recebeu: Rainha da Borborema. Campina completou 151 anos no último dia 11 de outubro. Atente para o fato a seguir:

UM POUCO DE NOSSA HISTÓRIA 94 anos. Tudo começou quando no ano de  1901 – há cerca de 113 anos – veio morar em Campina Grande o casal Olinto Cordeiro de Sousa e Rita Maria Cordeiro.

Certo dia o Sr. Olinto hospedou-se na Fazenda do Sr. Aprígio de Farias, que exercia a função de subdelegado de Polícia local. Nesta visita, o hóspede recebeu de presente um exemplar da Bíblia – um  Novo Testamento. Tamanha foi a alegria do recém-chegado ao receber aquele presente que logo passou a ler, e suas descobertas causaram espanto ao Sr. Aprígio.

Lendo os Evangelhos o Sr. Olinto ficou impressionado com a atitude de Cristo em perdoar o ladrão da cruz arrependido, e com a declaração: “…ainda hoje estarás comigo no Paraíso”.

O Sr. Olinto afirmou para sua esposa: Este livro é bom. Para se entrar no Céu não precisamos de rosários, de missa… eu queria conversar com a nova seita (assim eram conhecidos os crentes à época).

Dias depois, o Evangelista Sinfrônio Costa estava em Campina Grande, doutrinando o casal Olinto e Rita. Dona Rita resistiu dizendo que não deixaria de ir à missa em hipótese nenhuma. O Sr. Olinto certo dia foi assistir uma missa. Ao tentar se ajoelhar, teve câimbra; isto lhe causou temor e passou a frequentar os cultos da ‘nova seita’, que foram dirigidos pelo irmão Antonio Duarte, de São José do Siriji – PE

Os Srs. Olinto Cordeiro e Antonio Duarte foram perseguidos pela população, que chegou a chamar seu Olinto de “cão coxo”, por causa de seu defeito físico.

Os cultos começaram a ser frequentados, e, em 1912, foram batizados pelo Rev. Hermenegildo Sena, vários irmãos, dentre os quais: Rita Cordeiro, Veridiana Cordeiro, Josefa Candeia, Vicente Catão, Maria Catão, Efigênia Catão. Convém salientar que apesar da Igreja nascer na residência do Sr. Olinto, o mesmo só se batizou em 1933, após 13 anos de organização.

As sedes da Igreja foram: Primeiro na casa do Sr. Olinto, depois em casa do Sr. Julio Galdino, e finalmente, no local atual, num Templo pequeno, na antiga Rua do Açude Velho, hoje Rua 13 de Maio.

A igreja foi organizada em 15 de novembro de 1920 pelo Rev. James Haldene, seu pastor, tendo como Evangelista Sinfrônio Costa, Presbítero João Canuto e o Diácono Eulálio Eliezer. A Igreja tinha então 30 membros e 60 alunos na Escola Dominical.

Em 1922 assumiu o pastorado o Rev. Harry G. Briault. O mesmo trabalhou durante 5 anos como seu pastor, deixando esta atividade em 30 de junho de 1927. A igreja já contava com 90 membros e 150 alunos da Escola Dominical. Nessa última data, o Rev. João Clímaco Ximenes passou a ser o guia espiritual da igreja. Neste período, por necessidade, o Templo foi aumentado e reformado duas vezes. No dia 30 de janeiro de 1930, foi inaugurada a casa pastoral ao lado do Templo. A primeira reforma foi realizada ainda sob o ministério do Pr. João Ximenes, que durante 36 anos esteve à frente da Igreja. Após sua morte, assumiu o pastorado da Igreja o Pr. Raul de Sousa Costa, posteriormente assumiu o Pr. Alexandre Ximenes, filho do Pr. João Ximenes, logo após um período em que a Igreja ficou sem pastorado, período este em que o Pr. Claudenor Gomes e o Evangelista Janduí Araújo cooperaram assistindo-a espiritualmente; após este período pastoreou a Igreja o Pr. Antonio Acácio de Moraes, e atualmente a Igreja é pastoreada pelo Pr. Samuel Dionísio de Veras que continua à frente da Igreja há mais de 22 anos, contando atualmente com a colaboração dos pastores Alexandro Souza Felizardo (Co-Pastor) e André Costa Moraes (Pastor Auxiliar).

Mais recentemente a Igreja teve os préstimos dos Pastores efetivos Daniel José da Silva, Alek Sandro, Kielce Marne Silva de Araújo, Severino Luiz (in memoriam).

Sua organização eclesiástica conta com os seguintes Departamentos:

Diretoria Eclesiástica, Diretoria do Patrimônio, União de Moços Congregacionais, União Juvenil Congregacional, União Auxiliadora Congregacional, União de Homens Congregacionais, Caixa Diaconal, Escola Bíblica Dominical, Departamento Infantil, Vários Grupos de Louvor, Corais, Coreografias e Teatro, Encontro de Casais com Cristo, Encontro de Jovens com Cristo, Curso de Discipulado, Curso Bíblico, Missões locais, Nacional e Internacional e a Missão Evangelizadora do Nordeste.

Atualmente na Igreja sede, temos um Corpo de Oficiais composto de 17 Presbíteros, e 28 Diáconos . Dispomos de um local para retiros, o Acampamento Maanaim, que comporta 300 pessoas, localizado no Distrito do Alvinho.

Na área de Missões temos Congregações em Queimadas, Capim Grande, Santa Terezinha, Tambor, Fagundes, Serra Branca, Sossego, Maliça, Alto do Umbuzeiro, Riacho dos Carneiros, Gurjão, Santa Luzia do Cariri, Sumé, São João do Cariri, Monteiro, Itatuba, São Tomé, Ouro Velho, Baraúnas, Canoa de Dentro, Assentamento.

Neste atual endereço foi edificada a primeira Igreja Evangélica em nossa cidade, um marco histórico de grande relevância, não só para a nossa cidade, mas para muitas outras do Estado e fora dele, pois muitas Igrejas foram fundadas graças a estes desbravadores, homens e mulheres de Deus que fizeram com que o Evangelho chegasse a lugares longínquos e de difícil acesso. Para nós é um privilégio santo colher os frutos plantados por estes irmãos!

(Compilação)

O Editor